sexta-feira, 30 de novembro de 2007

Respire, inspire-se

Não é estranho como as coisas simplesmente surgem na nossa cabeça??
Uma foto antiga desperta lembranças quase esquecidas, as quais muitas vezes você luta pra tirar da cabeça. Um ursinho de pelúcia está associado à infância, uma bota está relacionada com aquele amargo pé na bunda.
Mais estranha ainda é a inspiração.
Eu definiria inspiração como um artifício extremamente bizarro e ao mesmo tempo fantástico de nossas mentes.
É inexplicável o fato de você olhar para um tapete estendido no chão, uma panela quente, uma cortina voando pra fora da janela no ritmo do vento e isso fazer idéias brotarem na sua cabeça, como uma respiração, formando-se lentamente e se espalhando, a partir de um objeto ou uma ação que para outras pessoas pode ser insignificante.
As luzes da cidade se acendem, como as idéias em nossas mentes. Com o tempo, o tapete fica puído, a panela quente acaba esfriando. O vento muda a direção e a cortina volta para o lugar. Ao contrário desses objetos, a insporação continua vindo, as idéias ficam. Vão, voam e voltam.
E mais do que isso: a inspiração se renova a cada dia, e surpreende, nos vindo nas horas mais incertas.