sábado, 7 de agosto de 2010

Invisíveis

As vezes tudo fica no modo inverso, e eu sinto como se eu tivesse andado de ré por todo esse tempo, ao invés de como qualquer ser humano normal, andar andar para frente.
Eu sinto medo, sinto raiva, impaciência, as vezes chego até a sentir umas pontadas de ódio. Não gosto de ódio, nunca gostei. Tem gosto de sangue.
Só que as vezes ele vem e parece que eu tomei um soco na boca. Eu fico procurando o autor invisível e inexistente da agressão, olhando para cada um que passa do meu lado como se tivesse sido ele, com o semblante bem fechado, como que convidando o infeliz a voltar a repetir a grosseria.
Mas nenhum deles me agrediu, sequer deve ter notado a minha presença no recinto. Apesar de ter essa consciência, eu gostaria de encontrar alguém pra poder culpar, mas eu não encontro, inferno!
Ninguém, além de mim mesma, é culpado pelas coisas que estão fora do lugar no momento, só que não é fácil assumir a culpa, é mais fácil jogar em outra pessoa.
Principalmente quando as minhas mãos parecem atadas com arame farpado e meus pés parecem afundados a uns bons vinte e dois centímetros no cimento.
Eu preciso colocar na minha cabeça de vento que ninguém, nin-guém é culpado pela situação que eu estou, ou na que eu vou me enfiar, sequer na que eu penso. Nem mesmo as circunstâncias. Ok, as circunstâncias podem ser culpadas, eu nem sei direito o que isso quer dizer, mas soa bonito falar.
Talvez e eu detesto ter que admitir, quando eu reconhecer que eu é que causo essas coisas em mim mesma é que eu vou saber me direcionar melhor ao invés de ficar procurando agressores que nem sequer agridem.

Minhas desculpas a quem eu tenho tentado colocar a culpa.

12 comentários:

Tha ! disse...

Sei exatamente como é isso , passei muito tempo tentando culpar pessoas do meu proprio erro , so que as vezes o melhor é tocar pra frente , resolvar os problemas e continuar andando , ao invez de sempre ficar com remorso !

beijoos,*

Vinicius Kmez disse...

Desculpas aceitas.

Daiiiiiia disse...

Quanto tempo que eu não passo aqui!
Sumi de tudo. Como sempre férias ahuauhua
Lindo seu texto, sempre com muita emoção.

Bjo aninha.

mente inconstante disse...

Adorei o post-desbafo-desculpas... :)

yolanda disse...

isso faz pe ser uma pessoa. o ódio, medo, raiva, erro, tudo isso faz parte de nós. temos que receber tudo isso de braços abertos. para te ajudar a determinar boas coisas na tua vida e atraí~las para ti, faz daimoko. recita Nam myoho rengue kyo quantas vezes consigas.

Trashy Fame disse...

seguindo aqui, amei seu blog *o*
passa lá no meu também: www.thetrashyfame.blogspot.com
se gostar, segue a gente lá *-*

Elton... disse...

Humm, interessante... A gente perde tempo tentando justificar, achar explicações pra essas coisas... Nem sempre seguimos o bom e clássico conselho de agir mais e pensar menos negativamente.

tico litlle disse...

isso ai baby!

Anônimo disse...

Wassup

I wanted to share with you a very unique site I just came across teaching [url=http://www.kravmagabootcamp.com][b]Krav Maga[/b][/url] Online If you guys have seen the Discovery Channel TV Show called Fight Quest you would have seen their chief instructor Ran Nakash there featured on their [url=http://www.kravmagabootcamp.com][b]Krav Maga[/b][/url] segment. Anyways, let me know what you think. Is training via the internet something you would do?


cheers

Fred

Jééh ! disse...

Amore...
Amei o texto ^^

To de volta, depois de um ano to na ativa =)
Visita lá depois...

Beijos!

Rebeca Postigo disse...

Me identifiquei com esse texto...
Hehehe...

Bjs

Layane Palhares disse...

Muito bom seu blog!
Parabéns...

http://aquelaopiniaoalheia.blogspot.com/
beijos